• Portal Realeza

Nova lista do Procura-se é lançada com 12 alvos prioritários para o sistema de segurança


Indivíduos têm mandados de prisão em aberto por crimes graves como homicídio, mas também possuem relação com explosão de caixas eletrônicos; iniciativa é resultado da Força Tarefa lançada pelo Governo


Doze alvos considerados prioritários para o sistema de Segurança Pública de Minas Gerais foram incluídos na nova lista do programa Procura-se, lançada nesta quarta-feira (13/12), na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. O projeto busca a prisão de indivíduos foragidos da Justiça, com mandados de prisão em aberto, a partir da qualificação das ações das polícias e das inteligências por meio de denúncias ao 181.

Os alvos da segunda edição do Procura-se foram escolhidos levando-se em consideração a prática reiterada de crimes graves, como homicídio, roubo e tráfico de drogas. Os indivíduos listados também possuem relação com a prática de explosão de caixas eletrônicos no Estado, além de roubos a bancos. A escolha dos 12 nomes foi realizada pela Força Tarefa Contra Explosões de Caixas Eletrônicos, lançada pelo Governo do Estado há cerca de dois meses. A iniciativa é uma das entregas do trabalho do grupo. As inteligências e área operacional da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), Ministério Público, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Secretaria de Administração Prisional (Seap) e Corpo de Bombeiros Militartrabalharam no fechamento da lista. Além da prisão, a divulgação dos 12 procurados também traz o benefício de inibir a circulação dos criminosos listados, como destacou o subsecretário de Integração da Sesp, Marcelo Vladimir. O delegado da Polícia Civil e coordenador de Operações da Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária de PC, Júlio Wilke, ressaltou que as ordens de prisão, expedidas em Minas Gerais, têm validade em todo o território nacional e que as prisões e combate a esse tipo de modalidade criminal, “prioridades para a Polícia Civil”, vão acontecer.

Crédito: Carlos Alberto/Imprensa MG

“Estamos trabalhando juntos, somando todos os esforços com todas as instituições diuturnamente para encontrar e responsabilizar todas essas pessoas que estão envolvidas nesta modalidade criminosa”, afirmou Wilke. Delegado da Polícia Federal, Alexsander Oliveira, também destacou o Procura-se como “esforço mais que necessário” e avaliou como positiva a participação da sociedade, “que poderá contribuir com o Estado para que ele exerça a segurança pública”. O inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Eduardo Garcia, salientou a capilaridade da instituição, com vários postos nas rodovias, que devem contribuir para “identificar as pessoas em abordagens e aumentar o índice de capturas”. Já o chefe da 2ª Seção do Estado Maior do Corpo de Bombeiros, major Carmo Vinícius de Oliveira, explicou que a instituição compõe o grupo contribuindo, principalmente, com informações relacionadas à área de inteligência. “Recebemos informações de acidentes que possam ter ocorrido com a manipulação de explosivos. Às vezes não se registra a ocorrência policial, mas se registra atendimento de socorro e pronto atendimento à vítima”.

#PolíciaCivil #governodeminas

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social

Deixe o e-mail e receba as atualizações:

Todos os Direitos Reservados - Portal Realeza - 2017 - 2019

CPF: 116.672.106-02 

Rua Monte Verde, 01 - Distrito de Realeza - MG